Comissão de Seleção

Alice Name-Bomtempo

Mestre em roteiro pela EICTV – Cuba e bacharel em Cinema pela UFF. Roteirista dos longas Modo Avião (2020, Filme de língua não-inglesa mais assistido na Netflix), Torniquete (Com Marieta Severo, em finalização, dir: Ana Catarina Lugarini) e Casa da Mata (SESC Novas Histórias 2020; Talents Buenos Aires 2019). Escreveu e dirigiu os curtas Nina e o Abismo (2023), Na Esquina da Minha Rua Favorita com a Tua (2017) e Todas As Memórias Falam de Mim (2015), exibidos em mais de 40 festivais, como Festival do Rio e Mostra de Cinema de Tiradentes. É supervisora de desenvolvimento das séries Trago a Pessoa Amada (Prime Box Brasil, dir: Vitã, em finalização) e Tá On? (Dir: Déo Cardoso, em finalização), do longa Perto da Meia Noite (dir. Maick Hannder) e co-criadora da série Teia (1o lugar no Prêmio Cabíria 2020). Trabalhou como roteirista em séries para canais como HBO Max, como curadora de roteiros para FRAPA e Cabíria Festival, e é parecerista de projetos para uma importante produtora.

Bárbara Velloso

Roteirista e editora. Estudou cinema na UNESA e Roteiro na NYFA. Começou editando filmes institucionais, concebeu o DVD da ópera Alabê de Jerusalém, de Altay Veloso, mas foi em Angola onde se estabeleceu como roteirista a partir de 2011, desenvolvendo documentários para a TPA e TVZIMBO.

Integrou a Equipe de Roteiristas das séries da Globoplay: “Arcanjo Renegado” (2a T) e “A Divisão” (3 a e 4a Ts). Entre 2021 e 2023 foi roteirista de séries originais na Disney+ e Amazon. Assinou o roteiro e a montagem de dois longas de documentário angolanos sobre a independência do país: “A Vitória é certa” (2023) e “Langidila, diário de um exílio sem regresso” (2014). Realizou dois curtas: “Rua Domingos Sávio S/No” e “Coração de Cebola”.

Venceu o prêmio do Júri Popular e Técnico no Rota Festival com o longa-metragem Afrika, também selecionado para o LAB de Narrativas Negras Globo/Flup em 2018. Em 2023, integrou o Segundo Ato Netflix, programa para roteiristas negros e Povos Originários.

Beatriz Ohana

Diretora e roteirista. Diretora do filme “A incrível aventura das sonhadoras crianças contra Lixeira Furada e Capitão Sujeira”, pelo qual recebeu 10 prêmios nacionais e internacionais, como melhor filme no 18º Festival Internacional de Cinema Infantil (2020) e melhor curta nacional no Festival Digital Curtas Campos do Jordão (2021). Assina roteiro e direção do documentário “Hip Hop Serra – Resistência Cultural na Cidade Imperial” (2021). Em 2022, lançou o filme “Mergulhos”, em que assina direção e roteiro, pelo qual recebeu o prêmio de melhor criação Audiovisual no 5° Marginal Art Festival, em Portugal. É criadora e diretora geral do Cine Pagu, cineclube itinerante e escola de cinema que atua em Petrópolis desde 2017, além de Diretora-Fundadora da Engenhoca Filmes, produtora atuante desde 2018. É roteirista e idealizadora do projeto de desenvolvimento de roteiro da série “Guardiãs da terra”, na 1ª sala de roteiro de Petrópolis.

Fátima Diniz

Jornalista, editora de jornalismo em Rádio AM e produtora de VT da INTERTV-Serra mar, a Globo Petrópolis. Integrante da Master Class 2 do autor Aguinaldo Silva. Roteirista e pesquisadora no seriado “Lara com Z”, na TV Globo, de Aguinaldo Silva, com supervisão de Maria Elisa Berredo. Autora do projeto de série/comédia, “Do Limão à Limonada”, com notas máximas, no núcleo criativo, ANCINE/PRODAV 2014, além o selo de qualidade dramática no NetLab e finalista na RioFilme. Roteirista e pesquisadora no roteiro da minissérie “A Lei de Ouro”, aprovado pela ANCINE/PRODAV 4 em julho/2018 e finalista no série Lab com rodadas de negócios no Frapa 2021, 2022 e no Rio2C. Como Roteirista e pesquisadora, colaborou no Roteiro do Longa “Um Amor De Repente”, finalista no Festival Cabíria 2022 e no Latinix em 2022 e finalista no FRAPA 2023. Roteirista e pesquisadora na equipe da primeira sala de roteiro inteiramente realizada na cidade de Petrópolis, no projeto de série “Guardiãs da Terra”.

Guilherme Petry

Pós-graduado em Roteiro para Cinema e TV pela FAAP, Petry se formou em Comunicação Social na UFRGS e estudou Direção de Cinema na New York Film Academy. Além disso, frequentou diversos cursos e oficinas de roteiro, escrita criativa, direção e fotografia.

Atuando no mercado audiovisual desde 2007, já dirigiu e roteirizou diversos curtas-metragens premiados, videoclipes e programas de TV. Como roteirista, escreveu três longas-metragens inéditos, foi contemplado no FSA PRODAV 05/2015 e participou de laboratórios de desenvolvimento como Festival Varilux, Primeiro Plano Lab, Rota e SESC Argumenta. Atualmente, coordena o Grupo de Estudos em Narratologia para apoiadores do podcast Primeiro Tratamento, apresenta o podcast Cena Aberta e é professor da Roteiraria, escola de roteiros.

Como diretor publicitário, foi diretor e sócio da produtora Guts and Films, diretor representado pela produtora argentina Rebolucion e, atualmente, é representado para o mercado brasileiro pela Sentimental Filme.

Hela Santana

Escritora e roteirista, em 2021 escreveu para a série de animação Os pequenos Crononautas, em fase de produção pela Bactéria Filmes, é roteirista das séries Encantado’s e Histórias (im)Possíveis, ambas da TV Globo onde também atua como consultora de Elas por Elas, novela das 18h.  Seu primeiro projeto de longa-metragem,  Pajubá, documentário sobre pessoas trans das cinco regiões do país, está em fase de pós-produção e tem lançamento previsto para 2024.

Julia Katharine

Diretora, roteirista e atriz do filme Tea for two, vencedor do prêmio Guarani de melhor curta. Trabalhou como atriz em três filmes de Gustavo Vinagre: Filme-catástrofe; Os cuidados que se tem com o cuidado que os outros devem ter consigo mesmo e Lembro mais dos corvos. Neste último, no qual foi também co-roteirista, sua participação lhe rendeu o Prêmio Helena Ignez.

Karen Suzane

Karen Suzane é diretora criativa, formada em cinema e audiovisual pela UFF. Sua mais recente obra é a série documental de cinco episódios chamada negro muro, feita exclusivamente para o canal GNT. Em 2018, dirigiu o curta-metragem A Mulher que Eu Era, selecionado no 5º Prêmio BDMG de Estímulo ao Curta-metragem de Baixo Orçamento. O filme foi vencedor de 4 prêmios: Melhor Curta da Mostra Mineira – 12º MOSCA, Prêmio Akuaba – II Mostra Itinerante de Cinemas Negros – Mahomed Bamba; Melhor Direção de Arte – Primeiro Plano; Melhor Filme Mineiro – Mostra Interseções.

Em 2020, realizou a websérie documental intitulada DNA Gastronômico e, durante a pandemia, desenvolveu os curtas Celebrar: Um filme, muitas histórias, A solução está no caos, Desabafo e Poesias de Primavera. 

Seu primeiro projeto de longa-metragem, Quatro Meninas, da roteirista Clara Ferrer, passou pelo laboratório Nicho 54, em 2020, e foi selecionado pelo Hubert Bals Fund com prêmio para o desenvolvimento do roteiro.

Leandro Corinto

Cineasta, roteirista e storyteller. Iniciou sua carreira como diretor de filmes publicitários. Atua no mercado latino-americano, onde escreveu e dirigiu peças exibidas na Argentina, Colômbia, Peru e Venezuela. Comandou três temporadas do reality show “Socorro, Meu Filho Come Mal!” e o game show “Cozinha Colorida da Kapim”, exibidos pelo GNT.  Dirigiu os programas “Na Hora do Intervalo” e “Revista Programe-se” para o MSW. Realizou videoclipes para Ney Matogrosso e Cazuza, Leoni e Xamã. O curta “A Visita”, escrito e dirigido por Corinto, recebeu 23 prêmios, incluindo o de Melhor Ficção na “Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis” e o de Melhor Curta Estrangeiro no “Highland Park Fim Festival”, em Los Angeles.  “A Hora”, outro filme com sua direção, recebeu prêmios de Melhor Curta e Roteiro em festivais como o “Portugal International Film Festival” e o “Festival de Cinema de Caruaru”.  Participou da sala de roteiros do projeto de série de ficção “Guardiãs da Terra”. 

Lia Bahia

Lia Bahia é professora e pesquisadora do departamento de cinema e vídeo da UFF. Realiza investigações sobre economia política do cinema e do audiovisual, com foco em políticas públicas, e integra o Fórum de Tiradentes. Trabalhou na gestão pública com políticas de fomento, formação e difusão e publicou o livro “Discursos, políticas e ações: processos de industrialização do campo cinematográfico brasileiro”, entre outros textos.

Luciana Bezerra

Luciana Bezerra é cineasta, atriz e aluna de Letras da PUC-RJ no curso de formação de escritor. Nascida da favela do Vidigal, formada pelo Grupo Nós do Morro em artes cênicas e multiplicação de saberes, exerce em suas obras e oficinas a filosofia da generosidade intelectual. Seu curta “Mina de  Fé” tem mais de dois prêmios de melhor filme. O longa documental recém lançado “7 cortes de cabelo no Congo” recebeu o prêmio de Melhor Documentário do Festival Primeiro Olhar de Curitiba e Menção Honrosa do Festival do Rio de 2022. Atualmente, Luciana estreou seu primeiro longa de ficção “A festa de Léo” no Festiva do Rio 2023.

Marçal Vianna

Realizador de Nova Iguaçu, Marçal Vianna é formado  pela PUC-Rio, pós-graduado em Roteiro pela UVA e formado em cinema pela Encontrarte Audiovisual. Como roteirista, escreveu para programas como o Vai Que Cola (do Multishow) e teve passagem pela TV ESCOLA e TV BRASIL. Fez sua estreia como diretor em Neguinho (2020), curta selecionado para mais de 100 festivais e vencedor de mais de 60 prêmios nacionais e internacionais. “O Último Cinema de Rua”, o seu segundo curta, venceu 17 prêmios.  “Deus não deixa” (2022), o seu último trabalho, foi selecionado para a Mostra Competitiva do 50° Festival de Cinema de Gramado e  venceu 10 prêmios, incluindo Menção Honrosa do Júri e Prêmio Canal Brasil de Curtas no Festival Curta Cinema. 

Marcelo Lima

Roteirista de HQs e Audiovisual. Doutor em Comunicação pela UFBa. Recebeu o Prêmio João Ubaldo Ribeiro da Prefeitura de Salvador pela HQ “O Bicho que Chegou a Feira”, adaptada da obra de Muniz Sodré; e o Troféu Angelo Agostini pela obra “Lucas da Vila de Sant”Anna da Feira”. Participou do Colaboratório Criativo, iniciativa de profissionalização de roteiristas negros da Netflix. Foi roteirista das séries animadas Auts (Takapy), exibida na PlayKids, TVE e TV Cultura;  Mundo Ripilica (Marisol/SP), exibida na Discovery Kids Amazon Prime; do personagem Nenê do Zap a partir de argumento coescrito com Anna Muylaert. Tem projetos em desenvolvimento para a Disney+, Amazon e Paramount/Nickelodeon. Cocriou as séries animadas Pequenos Narradores (Takapy) exibida na TV Aratu, e Galera da Praia (Griot Filmes/Tamar/Studio Belli) exibida na TV Rá-Tim-Bum. Em 2023 lançou a HQ Os Afrofuturistas, financiado pelo Itaú Cultural e publicado pela Editora Veneta.

Mariana Tesch

Mariana Tesch é roteirista, professora e consultora, com mestrado em roteiro pela Northwestern University (CAPES/Fulbright). Foi chefe de sala da série “Dois Tempos” (Star+) e roteirista das séries “Clube da Anittinha” (Gloob), “Coisa Mais Linda” (Netflix) e “Oswaldo” (Cartoon Network). Roteirizou os curtas-metragens “NY, MG” (2017) e “Nervo” (2019), com exibições em diversos festivais pelo Brasil. Seu roteiro de longa-metragem “Amém” foi o vencedor do concurso do Guiões, em 2016, e ficou em segundo lugar no concurso do FRAPA, em 2015. Em 2017, seu roteiro de longa-metragem “Bugs” foi finalista do Guiões e, no FRAPA, recebeu menção honrosa, além de prêmio de melhor pitching. Mariana ministrou oficinas de roteiro em parceria com diversas instituições como EICTV, em Cuba, SetCenas, em Natal, Movcine, em Campo Grande, SESC Ipiranga e Campo Limpo, em São Paulo, e Lab Cena 15, online. Atualmente co-escreve com Angelo Defanti a adaptação da HQ “Cachalote”, de Daniel Galera e Rafael Coutinho.

Miguel Nagle

Miguel Nagle, morador de Nova Iguaçu, é diretor e roteirista formado em direção cinematográfica pela Academia Internacional de Cinema (SP), onde ganhou bolsa de estudos através do Observatório das Favelas. Miguel também é formado em Documentário e Montagem na Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu. Dirigiu e roteirizou o longa-metragem “Metanoia”, filme distribuído pela Europa Filmes em mais de 100 salas de cinema e vencedor de 8 prêmios no FICC, disponível na Amazon Prime Vídeo e exibido também no Canal Brasil, Net Now, Prime Box Brazil, iTunes e outros. Realizou mais de 80 curtas-metragens, algumas de suas obras já foram exibidas em diversas mostras e festivais. Entre seus curtas o curta metragem “Dom Gratuito”, selecionado para o Festival de Cine de Huelva (Espanha). Miguel também é educador cinematográfico, coordenador pedagógico da 4U Films Academy e Encontrate Audiovisual. Também ministrou oficinas no SESC, Tela Brasil, Seven CG, Encontrart, UNIMEP, Jocum, Campus Party, e outros.

Renata Tupinambá

Fundadora da Originárias Produções. É jornalista, roteirista, consultora, curadora e artista visual. Curadora adjunta do Museu de Arte de São Paulo (MASP). Criadora do Podcast Originárias.. Colaboradora do Acessibilindígena, foi curadora do Festival de Cinema e Cultura Indígena (FeCCI) 2022, do Festival Corpos da Terra 2021, Escuta Festival 2021 – 2022 no Instituto Moreira Salles do Rio de Janeiro, Mostra de Etnomídia Indígena II 2021.

Renata Mizrahi

Roteirista, dramaturga e diretora. No cinema ganhou prêmio de Melhor roteiro no Festival de Triunfo pelo filme Amores de Chumbo, direção de Tuca Siqueira (atualmente na Amazon e no Now).  É autora do longa Os Sapos, que rodou em outubro de 2021, baseado na sua peça homônima, direção de Clara Linhart. O filme ganhou prêmio de melhor filme no Júri Oficial e  Popular na categoria Work In Progress no FAM (Festival Audiovisual Mercosul) 2022. Roteirista do longa “Meus 4 Maridos”, que rodou em outubro de 2021, direção de Fred Mayrink. É autora do telefilme  Maria, com direção de Iberê Carvalho- estreou em maio de 2023 na TV Globo Brasília e no Globoplay. Autora do curta “Bodas”, que ganhou o prêmio de Melhor Filme no Primeiro Festival Internacional de La Gent Gran de Barcelona 2019.  Na TV, escreveu a segunda temporada de Homens São de Marte… (GNT).  Escreveu a segunda temporada da série “Matches” para a Warner. Formatou e escreveu “Tem Criança na Cozinha” (Gloob) que ganhou o prêmio Comkids e foi indicado ao Emmy Kids. Escreveu “Minha Estupidez”, com Fernanda Torres (GNT).  Escreveu alguns episódios da Série Cia de Teatro Brasileiras, atualmente no Canal Curta. Desenvolveu a Série Policial “Porto”, com Sérgio Rezende. Desenvolveu a série “Pool Fighters” para Amazon em 2022. Escreveu também “Vai que Cola”, “A Vila” (Multishow), entre outras. Desenvolve a série Rebecca, que foi selecionada para LAB Varilux Cinema Francês 2022 em junho de 2022. Venceu o Festival Cabíria 2020 de melhor argumento infanto-juvenil (com Renata Diniz) por Rodante.  Foi curadora do Festival Cabíria 2021 de roteiros de longa-metragem.Atualmente está finalizando o curta-metragem As Melhores, que escreveu e dirigiu. Escreve o roteiro de comédia De Repente Grávida, uma comédia para Monique Alfradique (direção de Ale Machado) que filma em janeiro de 2024. No teatro ganhou o Prêmio Shell por Galápagos, em 2014. E os prêmios Zilka Salaberry 2010 e 2012 pelos infantis Joaquim e as Estrelas e Coisas que a Gente Não Vê. 

Renata Sofia

Autora, roteirista e dramaturga. Colaboradora da novela “Vai na Fé” na TV Globo, da série “Temporada de Verão” da Netflix e das 12ª e 13ª temporadas de “Detetives do Prédio Azul”, do canal Gloob. Participou de desenvolvimento de séries para as cartelas de produtoras como Conspiração, Raccord, Dédalo, Pindorama e Mira Filmes; de animações para 2Dlab, e longas-metragens para LaPilar. Ministrou o módulo “Introdução e vocabulário básico de roteiro” no Lanani 2022 e é monitora no Lanani 2023. Consultora do laboratório Novas Histórias 2023, de séries no 1º LAB Infâncias diversas Mif.Kids, de séries Núcleo de Projetos Audiovisuais de Curitiba e de Argumento Infanto-Juvenil no Lab Cabíria. Dramaturga na peça “A Protagonista” e orientadora de dramaturgia na peça “Quem é o Zezinho?”. Com os longas originais “MC Estrela” em pré-produção pela Kromaki e “Dunas do Abaeté”, selecionado para o 10˚ Laboratório Novas Histórias Sesc. Participou do painel “Afrobrasilidades” com o projeto original de série infantil “O Laboratório do Porão” no Rio Content Market 2017 e do 1º Laboratório de Narrativas Negras para o Audiovisual – Flup, Film2B e TV Globo.  Formada em Jornalismo pela UERJ.

Stefano Lopes

Stefano Lopes nasceu em São José dos Campos, interior de São Paulo. Bacharel em Cinema pela Universidade Estadual do Paraná e especialista em Corpo e Palavra nas Artes da Cena e da Imagem pela PUC-Rio, cursa a especialidade de Roteiro da Escuela Internacional de Cine y Televisión, em Cuba. Há mais de meia década atuando como assistente de direção, colaborou na realização de curtas, longas e séries e atualmente se prepara para estrear “Nada Ficou no Lugar”, seu primeiro curta-metragem como diretor e roteirista.

Thais Fujinaga

Thais Fujinaga graduou-se no curso Superior do Audiovisual da ECA-USP em 2008. Seus curtas-metragens, “L” e “Os Irmãos Mai”, participaram de dezenas de festivais de prestígio e ganharam, juntos, mais de 60 prêmios e menções especiais. Destaque para: 62º Festival de Berlim, 44º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, 26º Festival de Cine de Mar del Plata, 33º Festival de Havana, entre outros. 

Os roteiros dos longas “A Felicidade das Coisas”, ‘Talismã” e “O Filho Plantado” foram selecionados para laboratórios e encontros de coprodução importantes, como o BrLab, Cinéma en Dévelopement, Brasil CineMundi, Laboratório SESC Novas Histórias, FRAPA e Design de Audiência do Projeto Paradiso. OS três roteiros foram finalistas do concurso de roteiro “Cabíria”, criado com o objetivo de premiar obras com protagonistas femininas relevantes. “A Felicidade das Coisas” e “O Filho Plantado” alcançaram o 1º lugar no concurso. O roteiro do seu segundo longa-metragem, “Talismã”, foi finalista do prêmio FRAPA 2021.

Em 2019, Thais foi selecionada pelo Berlinale Talents. No mesmo ano, filmou o longa “A Felicidade das Coisas”, que teve sua estreia em 2021 no 50º International Film Festival of Rotterdam. A estreia nacional foi na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, onde recebeu o Prêmio ABRACCINE de Melhor Filme de Diretor Estreante.

Thais escreveu roteiros para séries da Netflix, HBO, Grupo Disney, Globoplay e TV Globo. Atualmente, está finalizando a adaptação do livro argentino “Garotas Mortas”, que será dirigido por Maya DaRin e escrevendo uma série para a Globoplay.